Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Uma viagem com Abul

13.07.19 | Delcy Reis

E por todas as recomendações de seguranca e por assumir algum risco na minha vida, partilho convosco as aventuras que a minha vida tem tido, e como dizemos em Portugal, é bom que as águas se agitem, de vez em quando.

Aventura por Sharjaj uma cidade a norte do centro de Dubai, onde, num ambiente mais familiar e não tão ocidental, comi como eles, bebi como eles, e ouvi tantas e tantas vezes a palavra habibi, que considero tão carinhosa.

Todos os petiscos são comidos com a mão, envolvidos num pão típico e acompanhados de Leban, para cortar as especiarias. Couve flor em vinagre, beringela, também em viagre, e ovos mexidos com batata.

Para os que pensam que eventualmente podemos não ter o direito aos mesmos petiscos, se procurarmos acabamos por encontrar. Figado, como as nossas mães costumavam fazer de cebolada,  azeitonas, tomate, uma mistura de sabores que são do nosso país e que vemos que se propagam por todo o mundo. Viagem tranquila, onde fui presenteada com jardins perto de lagos, prédios elevados misturados com mesquitas mais tradicionais.

A viagem fez-se com um motorista paquistanês,  o mesmo que me levou a perceber que, no Dubai, também encontramos ritmos latinos, e brasileiros. 

Mas, as músicas de cá, serão aquelas que me têm elevado, porque quando mais nova, e ainda recentemente os instrumentos musicais que procuro acompanhar mais são o violino, o oboé, e o piano. Ouvindo Tamer Ashour, em Fi Baly é simplesmente encantador, um início de música, totalmente enquadrado numa cultura árabe que nos leva a viajar.

Uma cidade, incrível pelas edificações que tem, e pelas pessoas, se bem tratadas, também nos tratam sempre com um sorriso.

E, se tentarmos o inesperado, pelo menos até agora somos surpreendidos com coisas incrivelmente boas.

Numa das viagens, pedi para ouvir a música, a minha música. Abul apenas referiu que, nos dois meses de trabalho, nunca tinha conhecido ninguém como eu, por ser europeia, e ouvir músicas que de europeias, nada têm. Uma viagem que me fez perceber musicas de nitin sawhney, que pela melodia me preenchiam, mas agora pelo seu significado ainda me preenchem mais.

Mistura, do ocidente com o arábico, e sem qualquer dissabor nessa mistura.

Mausam,