Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Sentir

17.07.18 | Delcy Reis

Todos andamos \á procura daqueles momentos que sabemos que nos fazem bem. 

E, o mais corajoso é descobrirmos os mesmos, quando estamos sozinhos.

Ontem, num novo regresso da cidade, percorrendo o mar, que me acompanha até ao destino que me conforta a mão afagou o vento.

Ou então o vento afagou-me a mim.

Adoro estes finais de tarde, onde a luz se põe tarde e se sente o vento quente, com cheiro a mar misturado com erva seca.

Pus a mão, para o sentir, e sentir a nova lufada de ar que entrou, agitou os meus cabelos e bateu no meu peito.

A força é reconquistada com pequenas coisas.

Gosto de sentir que não estou no que é suposto ser, e que os eventos importantes, a acontecerem aconteçam ao meu ritmo.

Somos sempre desiludidos com os que nos rodeiam, somos sempre afagados por aqueles que nutrem laços muito fortes por nós.

Acabamos por recorrer uns aos outros, para nos apoiarmos e verbalizarmos a certeza e segurança em que estamos na fase de vida em que nos encontramos.

Verbalizarmos emoções, torna a nossa exposição emocional maior, mas não  escolhemos os sentimentos positivos que podemos sentir. E neste momento, não tenho que os controlar.

Neste momento, não tenho porque o fazer, e essa sensação de liberdade é indescritível. Perigosa, mas indescritível.

E vocês, onde vão buscar a paz, para poderem equilibrar com o vosso dia a dia ?

IMG-1101.JPG