Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Pessoas que nos trazem o que de humano há em nós.

03.10.18 | Delcy Reis

Somos humanos, pelo sentimento de perda, pelo sentimento que hoje a velocidade com que o mundo roda, nos obriga a ter um desapego gigante de pessoas, bens, momentos, para continuarmos o trilho que alguém nos marcou.

Somos humanos, por partilharmos em conjunto e não de forma solitária emoções, fortes nas positivas, e fortes nas negativas.

Concluo que a energia transborda quando, em momentos de forte emoção temos a necessidade de estar com alguém e partilhar, por suporte, ou por força que nos transmitem.

Por vezes agarramo-nos a músicas pequenas, outras vezes agarramo-nos a pequenas palavras que nos transportam para a nossa miudez, como a menina, a meninez de Fernando Pessoa:

"Tome lá, minha menina,
O ramalhete que fiz.
Cada flor é pequenina,
Mas tudo junto é feliz."

É uma palavra que me leva à minha pequenez, e me traz covas nas bochecas, e me volta a por ganchos no cabelo. Pessoas, que quero acreditar serem genuínas, pelo olhar, pelo sorriso e não pelo texto que tantas vezes vejo num monitor branco.

Separo, o sermos humanos, com a boa educação.

Separo, um bom coração, com a boa educação. Talvez por uma questão de gestão de tempo.