Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Orange is the new black

27.11.18 | Delcy Reis

images.jpeg

 

 

Tenho acompanhado esta série de 2018.

a mesma grata a vida de uma privilegiada nova iorquina que acaba numa cadeia de mulheres, para cumprir uma pena por crimes cometidos na sua juventude. 

Chamo a atenção ao grafismo inicial, das caras e pessoas que surgem na introdução,  mas esta série retem-me pelo simples facto de ser diferente de todas as outras, e ser bastante divertida, por todas as interações e principalmente argumentações que sustenta uma comunidade que partilha do mesmo espaço para sobreviver e viver, um dia na prisão, sendo a raça, a cultura de cada uma das pessoas aquilo que fomenta também a cisntante discussão.

A solução, para que grupos de humanos se unam, passa por ter lideres com uma experiência de vida diferente,  ou que pela forma como comunicam conseguem chegar a todos aqueles humanos.

Série, intensa pela sua sexualidade, mas bastante atual, por todas as problemáticas que poderemos viver e sentir nos dias de hoje, nomeadamente no que a culturas e etnias diz respeito, caos, a falta de regras e também o esforço contínuo que fazemos por aproximar os seres humanos e termos sempres esperança na humanidade.

A única desvantagem prende-se com o facto da série ter episodios de 50 minutos, que, depois de um dia de trabalho, podem ser bastante longos.

Recomendo, e aprecio principalmente, pela forma tão bem caracterizada de representar aquelas todas e diferentes culturas, e de fazerem provar que, ou por maioria, ou por autoridade,  acabamos todos por ser seres humanos, que passam por dor e sofrimento. Sempre.