Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Hoje em dia não fazemos surpresas.

12.09.19 | Delcy Reis

Hoje em dia, vidas programadas,  que nem se dão ao espaço e tempo de ter surpresas, que despertam sorrisos. E, na grande parte das vezes do inesperado, do não programado, surgem momentos que não nos vamos esquecer, surgem abraços que não vamos esquecer, sorrisos que vamos manter.

Eu, tenho sido surpreendida pela vida, todos os dias, e das mais diversas formas, e julgo que todos nós na medida em que nos expomos e da forma a que nos expomos a ela.

E, mediante essa exposição, efectivamente vivemos, fora das rotinas cinzentas do dia a dia.

E, olhando para essa exposição, agora tão acostumada a ela, dificilmente consigo sair, com as suas vantagens e desvantagens porque já sinto falta de um porto de vida constante seguro e que não mexe.

Hoje em dia, e por defeito não me dou ao afecto de forma fácil, não me dou de forma fácil.

E quando o recebo, de forma muito pequenina e simples. Amo.Delicio-me por esses pequenos pedaços.

Hoje, com a crescente imposição das tecnologias desprendemo-nos de bens materiais, de pessoas, e fazemos valer o nosso coeficiente emocional, de todos estes equipamentos, denominando por vezes de responsabilidades, mas muitas vezes misturando tudo num simples equipamento.

Claramente adepta da surpresa, e por vezes do bom inesperado, de um pouco de aventura, que nos abane a vida, e nos desperte para outras realidades.

Hoje em dia não nos damos a surpresas, porque temos medo da opinião alheia, e não seguimos a nossa vontade, porque não acreditamos que a vida poderá ser diferente.

E por mais voltas e alterações que procuramos promover, para encontrar o tal equilíbrio trendy, nem esse equilíbrio conseguimos encontrar, nem o balanceamento entre o mesmo e a surpresa.

Apesar de alguma experiência de vida, ainda gosto de me dar um pouco a momentos não planeados. 

E estou grata por estar numa fase de vida de descoberta, de novidade, de confronto, e de reorganização.

Hoje em dia, eu ainda me dou a surpresas, mas prefiro aquelas que são boas. Tendencialmente vou escolhendo.

Tendencialmente as mesmas vão-se afunilando.

Mas, para os que ficarem, serão sempre brindados por elas.

Pelas pequenas surpresas. 

 

 

 

 

1 comentário

Comentar post