Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Tapas ao Rio

28.06.21 | Delcy Reis

Boa gente, boa comida e bom serviço.

Para quem está com saudades de um bom petisco português, a um preço bem acess+ivel, com um espaço verde, controlado, se quiserem levar crianças, e uma boa música para acompanhar o jantar não hesite em conhecer este espaço.

Uns acharão certamente loucura, outros irão rotular de caminho. Eu continuo a relatar de coragem. Por conhecer novos cantos do meu país enquanto tenho a oportunidade de estar por cá. 

Um espaço reservado, próximo da ria, que permite ter uma perspetiva completamente diferente de Lisboa, Almada e do Cristo Rei.

Um cruzamento na minha vida, que suportou, acompanhou, e não por quanto tempo se manterá. 

Uma família, empreendedora, típicamente portuguesa, com um espaço do qual se devem orgulhar.

Uma comunidade, que me recebeu de braços abertos, e apesar de todas as diferenças, que existem, me fizeram sentir portuguesa.

E, o tradicional é sermos apenas uma família.

Mas, estando fora do meu país, aprendi, digamos a criar várias.

E espero manter-me no meio daqueles que me deram isto. Espero não desaparecer.

Foram umas belas tapas, com uma companhia nova, boa, e sorrisos, muitos sorrisos.

Para quem busca, um corte da cidade, num espaço acolhedor e comida tipicamente portuguesa, e de alguma forma com um toque caseiro, este é o sítio, dentro de uma edificação tipicamente portuguesa.

Para quem está em Lisboa, em apenas  30 minutos está num sítio, super contrastante da cidade.

Recomendo, e a forma como eles nos recebem, é de recordar.

It's all about balance? It's all about selfish. It's all about a smile.

22.06.21 | Delcy Reis

That's the quote, that's the trend about being at peace with yourself.

And then, when a woman states clearly I do not need to love you to proove that I love myself. No argue possible, only the next expectactions. Only the path. And decisions.

And then, the statement comes again, with the fears and the previous experiences, expectations from side to side. 

All about giving and receiving. All about no damage.

All about being happy.

All about speaking, being opened to learn, to feel protected, and then not feel protected at all.

The best is not to feel anything at all. 

 

Shuter Island

12.06.21 | Delcy Reis

Um bom filme, um bom retrato também da atualidade, da negação da realidade. 

Um bom retraro da opinião,  alheia, dos que são separados e nos dizem que sabem que não terei uma vida normal, não sabendo bem o que é uma vida normal, por parte de quem se separa. 

Cada vez mais, e não percebendo bem o meu propósito neste lado do mundo, ajudar aqueles que, de acordo com o momento, fase da vida em que me encontro, me deram aquilo que precisava. 

Neste caso, este filme despertou a vontade de voltar a escrever e relembrar porque é que comecei o blog. 

Comecei a escrever, porque me separei. Aliás, porque nos separámos. 

Porque, após 8 anos de vivencia em conjunto, simplesmente sentimos, sem contrato de casamento, que já não havia mais nada a acrescentar.

Um dos dois queria, acrescentar algo mais, mas não sendo os dois, mesmo com a tão referida resiliência, insistência, tudo desabou.

E sim, para os que se mantém juntos, todos passamos por momentos de auto estima, e todos temos sempre necessidade de ter atenção de alguém: seja de um filme, seja de uma rede social, onde o simples facto de termos algumas pessoas a ver o que postamos, a gostarem da fotografia, já preenche o coração de alguma forma.

Shutter Island mostra bastante bem a perda, loucura, amor, aguentar, desistir, necessidade de tempo de casal, decisões, falta de atenção, ausência.

E a forma como um homem lida, com a perda, com a loucura, procurando esquecer quem efectivamente marcou de forma indescritível a sua vida. 

O amor está sempre presente mas, a vingança também. 

E por mais sonhadora que possa ser, pelo meu signo, pelas minhas aspirações, infelizmente chegou o momento de encarar a realidade. E de forma fria, perante o mundo animalesco que vivemos.

Espero que cada um de vocês tenha a sua própria shutter island, e que tenha o mar por perto. Só ele me salva. Ele ouve tudo o que tenho a dizer. E fica ali.