Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Incompanhia

A companhia dos (in’s) INcerto INcoerente INconstante

Guia para um final feliz

28.11.20 | Delcy Reis

Filme com interpretações inacreditáveis.

Bradley Cooper, recentemente saído de uma disrupção de vida, quer em termos profissionais, quer em termpos pessoais. Casamento que terminou, por infidelidade da mulher, que o levou a ser conotado pela sociedade como pessoa com disturbios, após ver a mulher ter relações sexuais com um colega de trabalho. E este, que nada fez de errado, a não ser manifestar a revolta pelo que lhe tinha sucedido, foi condenado a passar oito meses num hospital psiquiátrico, pessoa classificada com disturbios mentais. 

Naturalmente, e como lhe assiste, após saída, claramente focado em reconquistar o seu fracasso, e anterior relação, e que tudo voltaria ao "normal". 

Jennifer Lawrence, viuva de um marido que, numa crise casal teve a infelicidade de morrer atropleado quando ía buscar algo a Victoria Secret, para re-aproximar o casal. E todos nós que pensamos que somos máquinas e que não temos emoções. 

Um filme fantástico, que transmite, quer as  dificuldades das relações humanas, quer as diferenças culturais e racismo que pode e sempre existirá.

E, dois adultos, que talvez não saibam lidar com novas emoções. 

Ela, Tiffany, cansada de todo o julgamento moral das atitudes que teve anteriormente, ele a voltar a conhecer o que são efectivamente sentimentos de amor, principalmente daqueles que estão perto e que o apoioam de forma incodicional.

Para os que questionam, sim identifico-me bastante com o filme, principalmente pelo não enquadramento no que é suposto, e também pelo simples facto de, apesar de não ser o padrão de dança de casal, terem o score necessário para o seu objetivo como casal, e principalmente como compromisso que assumiram perante terceiros, com uma capacidade de argumento, tenaz, forte e convicta. 

Porque, cada um deles, apesar de ter o suporte incondicional da família, o saberiam, por defeito que uma boa amizade prevalce acima de tudo o resto. 

Mas uma boa amizade, aberta e transparente, onde tudo é dito, sem lima, sem aresta. 

E, uma história, pelos sinais, transmitidos, leva a um final feliz. Excelsior.